Ads 468x60px

Ecologia

Bolívia dá exemplo ao mundo

A Bolívia está em vias da aprovar a primeira legislação mundial dando à natureza direitos iguais aos dos humanos. A Lei da Mãe Terra, que conta com apoio de políticos e grupos sociais, é uma enorme redefinição de direitos. Ela qualifica os ricos depósitos minerais do país como "bençãos", e se espera que promova uma mudança importante na conservação e em medidas sociais para a redução da poluição e controle da indústria, em um país que tem sido há anos destruído por conta de seus recursos, informa o Celsias.

Na Conferência do Clima de Cancun, a Bolívia destoou da maioria quando declarou que todo o processo era uma farsa, e que países em desenvolvimento não apenas estavam carregando a cruz da mudança do clima como, com novas medidas, teriam de cortar também mais suas emissões.
A Lei da Mãe Terra vai estabelcer 11 direitos para a natureza, incluindo o direito à vida, o direito da continuação de ciclos e processos vitais livres de alteração humana, o direito a água e ar limpos, o direito ao equilíbrio, e o direito de não ter estruturas celulares modificadas ou alteradas geneticamente. Ela também vai assegurar o direito de o país "não ser afetado por megaestruturas e projetos de desenvolvimento que afetem o equilíbrio de ecossistemas e as comunidades locais".
Segundo o vice-presidente Alvaro García Linera. "ela estabelece uma nova relação entre homem e natureza. A harmonia que tem de ser preservada como garantia de sua regeneração. A terra é a mãe de todos".  O presidente Evo Morales é o primeiro indígena americano a ocupar tal cargo, e tem sido um crítico veemente de países industrializados que não estão dispostos a manter o aquecimento da temperatura em um grau. É compreensível, já que o grau de aquecimento, que poderia chegar de 3.5 a  4 graus centígrados, dadas tendências atuais, significaria a desertifição de grande parte da Bolívia.
Esta mudança significa a ressurgência da visão de um mundo indígena andino, que coloca a deusa da Terra e do ambiente, Pachamama, no centro de toda a vida. Esta visão considera iguais os direitos humanos e de todas as outras entidades. A Bolivia sofre há tempos sérios problema ambientais com a mineração de alumínio, prata, ouro e outras matérias primas.
O ministro do exterior David Choquehuanca disse que o respeito tradicional dos índios por Pachamama é vital para impedir a mudança do clima. "Nossos antepassados nos ensinaram que pertencemos a uma grande família de plantas e animais. Nós, povos indígenas, podemos com nossos valores contribuir com a solução das crises energética, climática e alimentar".  Segundo a filosofia indígena, Pachamama é "sagrada, fértil e a fonte da vida que alimenta e cuida de todos os seres viventes em seu ventre." 

Fonte:http://planetasustentavel.abril.com.br/blog/planeta-urgente/bolivia-cria-lei-mae-terra-287125/

 

China volta a registrar níveis alarmantes de poluição atmosférica

Névoa voltou a encobrir céu de cidades chinesas, como a capital Pequim.
Governo chinês emitiu alerta à população para os próximos dias.

Menino faz sessão de inalação em Hospital Infantil em Pequim, na China (Foto: Reuters/China Daily)Menino faz sessão de inalação em hospital infantil em Pequim, nesta segunda (Foto: Reuters/China Daily) Uma névoa voltou a encobrir o céu de cidades chinesas, entre elas a capital Pequim, que registraram o retorno de níveis perigosos de poluição atmosférica, na manhã desta segunda-feira (28). A visibilidade nas ruas foi reduzida a 200 metros e, no norte do país 11 estradas tiveram que ser fechadas. A névoa também provocou cancelamentos de voos.
No domingo (27), o governo chinês emitiu um alerta à população, em função da previsão de tempo nublado para os próximos dias, informou a agência de notícias oficial do país Xinhua. Essas condições favorecem a piora da poluição atmosférica e reduzem drasticamente as condições de visibilidade.
O problema voltou duas semanas depois da péssima qualidade do ar ganhar destaque na imprensa chinesa, gerando insatisfação na população e levando o governo a anunciar um pacote de medidas para conter poluição atmosférica.

De acordo com a embaixada dos Estados Unidos, o índice de qualidade do ar (PM 2,5) voltou a marcar 493 PM 2.5 – índice que mede partículas com um diâmetro de 2,5 micrômetros, quase 20 vezes o limite considerado seguro pela Organização Mundial de Saúde (OMS).
Avião estacionado em Aeroporto de Pequim, na China, nesta segunda-feira (28) (Foto: Reuters/Jason Lee) 
Avião estacionado em Aeroporto de Pequim, na
China, nesta segunda (Foto: Reuters/Jason Lee)
Medidas

Nas últimas semanas, o governo afirmou que irá formalizar medidas pontuais tomadas anteriormente para reduzir a poluição, o que inclui o fechamento de fábricas, corte na queima de carvão e a proibição de certas classes de veículos nas estradas nos dias em que a poluição atingir níveis inaceitáveis.

Os índices perigosos de poluição também levaram o governo a aconselhar a população a reduzir as atividades ao ar livre.

Segundo estudo da Universidade de Pequim e da organização não-governamental Greenpeace, partículas microscópicas de poluentes no ar mataram cerca de 8,6 mil pessoas em 2012 e causaram US$ 1 bilhão em prejuízos econômicos em quatro cidades chinesas.
As taxas de câncer de pulmão em Pequim também cresceram até 60% na última década, de acordo com uma reportagem do estatal "China Daily" em 2011, apesar da reduzida incidência do tabagismo.

Fonte: http://g1.globo.com/natureza/noticia/2013/01/china-volta-registrar-niveis-perigosos-de-poluicao-atmosferica.html


Banco de alimentos da Ceasa passa a receber materiais recicláveis

Prodal é um banco de alimentos que beneficia cerca de 35 mil pessoas.
Ceasa fica em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

O banco de alimentos da Central de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa), em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte, vai ampliar as atividades e passa a aceitar também materias recicláveis ou que possam ser reaproveitados por instituições cadastradas. O Prodal é um banco de alimentos que funciona na Ceasa. As frutas e hostaliças separadas aqui alimentam, todos os meses, 35 mil pessoas atendidas pelas instituições do programa. A intenção é combater o desperdício.
Frutas como banana madura, manga e mamão amassados, perdem o valor comercial, mas continuam boas para o consumo. Na Ceasa, as frutas que estão nessas condições são separadas para doação.

Fonte: http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2013/01/banco-de-alimentos-da-ceasa-passa-receber-materiais-reciclaveis.html

0 comentários:

Postar um comentário